Técnicas para aumentar a potência no pedal.

Você já se perguntou como pode aumentar a potência no pedal e assim melhorar o seu desempenho nas pedaladas? A busca por eficiência e força é constante entre ciclistas, mas muitos não sabem por onde começar. Será que existe uma fórmula para alcançar esse objetivo?

No artigo de hoje do Bike Fix Brasil, vamos revelar técnicas comprovadas para elevar sua potência no ciclismo. Mas será que você está pronto para treinar de forma inteligente e otimizar seus resultados? Continue lendo para descobrir os métodos que podem transformar sua maneira de pedalar.

Técnicas para Aumentar a Potência no Pedal

  • Treinos em blocos: Realize treinos intensos por dois ou três dias seguidos e depois descanse. Essa técnica ajuda na adaptação fisiológica e no aumento da potência.
  • Regra 80-20: Dedique 80% do treinamento a intensidades baixas e 20% a treinos de alta intensidade, para construir resistência e trabalhar a potência.
  • Marchas mais pesadas: Use marchas pesadas mantendo a cadência para fortalecer a musculatura e aumentar a potência nas subidas.
  • Treino de subidas: Aumente a resistência muscular e a capacidade de manter uma cadência moderada com treinos progressivos em subidas.
  • Treino com vento contra: Utilize dias ventosos para pedalar contra o vento, simulando o esforço de subidas e aumentando a potência.
  • Treinamento progressivo: Aumente gradualmente a duração dos intervalos de treino, mantendo a cadência e variando os estímulos.
  • Periodização por blocos: Organize os treinos em pequenos blocos, alternando entre intensidade e recuperação, para promover melhor adaptação e aumento de potência.
  • Desenvolvimento aeróbico: Invista em treinos que desenvolvam a capacidade aeróbica, essencial para suportar treinos intensos e melhorar a performance.
  • Orientação profissional: Para um programa de treinamento personalizado e eficaz, busque a orientação de um treinador especializado.

Utilize a regra 80-20: Segundo essa regra, pelo menos 80% do tempo de treinamento deve ser realizado em intensidades mais baixas, abaixo de 75% da frequência cardíaca máxima. A maior parte do treino deve consistir em recuperação fácil e construção de resistência. Os outros 20% do tempo devem ser dedicados a treinos de alta intensidade, na zona de 90-100% da frequência cardíaca máxima. Essa distribuição equilibrada permite um desenvolvimento gradual da potência e melhora do desempenho no pedal. Não se esqueça de consultar um profissional especializado para orientar o seu treinamento de forma personalizada e segura.
Existem várias técnicas que podem ser utilizadas para aumentar a potência no pedal. Aqui estão algumas delas:

1. Treinamento de força: Realizar exercícios específicos para fortalecer os músculos das pernas, como agachamentos, levantamento de peso e pedaladas em subidas íngremes, pode ajudar a aumentar a potência no pedal.

2. Intervalos de alta intensidade: Incluir interval

Realize treinos em blocos

Quando se busca aprimorar a performance no ciclismo, uma das estratégias mais eficazes é incorporar treinos em blocos ao regime de exercícios. Essa abordagem, que consiste na execução de séries de atividades segmentadas, pode ser adaptada para focar especificamente na potência do pedal. A ideia é promover estímulos variados aos músculos e ao sistema cardiovascular, o que pode resultar em ganhos significativos de força e resistência.

Entendendo a Estrutura dos Blocos

Em um treino em blocos, cada segmento é composto por exercícios distintos, desenhados para desafiar o corpo de maneiras diferentes. Por exemplo, um bloco pode focar em exercícios de alta intensidade e curta duração, enquanto outro pode priorizar atividades mais longas e menos intensas. Ao pedalar, isso poderia se traduzir em sprints explosivos intercalados com períodos de pedalada constante. A chave está na variação: ao alternar entre esforços intensos e moderados, você estimula os músculos a se adaptarem e a aumentarem sua capacidade de trabalho.

Implementando o Treino em Blocos na Prática

Para implementar o treino em blocos na rotina de ciclismo, comece estruturando os exercícios de forma que cada bloco tenha um objetivo claro. No contexto do ciclismo, isso pode significar incluir um bloco com sprints curtos para desenvolver a potência explosiva e outro com subidas longas para melhorar a resistência muscular. É fundamental respeitar os períodos de descanso entre os blocos para permitir a recuperação adequada e evitar o sobre-treinamento.

Benefícios dos Treinos em Blocos para Ciclistas

A principal vantagem dos treinos em blocos é a capacidade de simular as condições reais de uma corrida ou passeio de bicicleta. Durante um evento ciclístico, raramente se mantém um esforço constante; há momentos de explosão para ultrapassagens ou subidas íngremes seguidos por períodos de recuperação. Ao incorporar essa dinâmica nos treinos, você prepara seu corpo para responder adequadamente às demandas do esporte.

Além disso, essa metodologia pode contribuir para o aumento da capacidade aeróbica e anaeróbica. Ao trabalhar com intensidades variadas, você estimula tanto a eficiência do consumo de oxigênio quanto a capacidade do corpo de realizar esforços sem depender exclusivamente do oxigênio (como nas arrancadas rápidas).

A Importância da Personalização do Treino

É essencial lembrar que cada ciclista possui características únicas e objetivos distintos. Portanto, a personalização do treino em blocos é crucial. Ajuste a duração dos exercícios, os intervalos de descanso e a intensidade conforme seu nível de condicionamento físico e metas específicas. O acompanhamento profissional pode ser muito valioso nesse processo, garantindo que os treinos sejam seguros e efetivos.

Adotar treinos em blocos como parte do seu programa de treinamento pode ser o diferencial necessário para aumentar sua potência no pedal e elevar seu desempenho no ciclismo a novas alturas. Experimente essa técnica e observe como seu corpo responde aos novos desafios impostos – você poderá se surpreender com os resultados alcançados.Existem várias técnicas que podem ajudar a aumentar a potência no pedal. Aqui estão algumas delas:

1. Treinamento de força: Incorporar exercícios de força, como levantamento de peso e agachamentos, na sua rotina de treinamento pode ajudar a fortalecer os músculos das pernas e aumentar a potência no pedal.

2. Treinamento intervalado de alta intensidade: Incluir

Utilize a regra 80-20

Quando se fala em potência no pedal, muitos ciclistas buscam incessantemente por métodos que possam impulsionar seu desempenho. Neste contexto, a aplicação da regra 80-20, inspirada no princípio de Pareto, surge como uma abordagem estratégica para otimizar o treinamento e alcançar resultados significativos.

A essência desta regra está na identificação das atividades-chave que contribuem majoritariamente para o aumento da potência. Em outras palavras, cerca de 80% dos ganhos que você pode experimentar vêm de apenas 20% dos tipos de treinos ou práticas que você realiza. Isso significa que, ao invés de dispersar esforços em uma vasta gama de exercícios, o foco deve ser direcionado para aqueles que realmente impulsionam a performance.

Você vai gostar:  Comparativo: Esteira ou Bicicleta para Exercícios

Identificação dos Exercícios com Alto Impacto

O primeiro passo é realizar uma análise criteriosa do seu plano de treinamento atual. Quais são as atividades que realmente fazem a diferença na sua potência de pedalada? Podem ser sessões de intervalo de alta intensidade, treinos em subidas ou até mesmo exercícios específicos de força. Ao identificar esses elementos, você poderá dedicar mais tempo e energia a eles, garantindo que o grosso do seu treinamento esteja alinhado com o desenvolvimento da potência.

Aplicação Prática da Regra 80-20

Na prática, isso pode significar ajustar seu cronograma semanal para incluir mais sessões que enfatizem a resistência muscular e a capacidade anaeróbica, enquanto reduz as atividades de menor impacto. Por exemplo, se descobrir que os treinos intervalados são os que mais contribuem para o aumento da sua potência, priorize-os na sua rotina semanal.

É importante lembrar que a regra 80-20 não sugere a eliminação completa dos 80% de atividades menos impactantes. Estas ainda têm o seu lugar, pois contribuem para a recuperação e para evitar o sobre-treinamento. O equilíbrio é fundamental.

A aplicação da regra 80-20 no ciclismo é um exemplo claro de como a eficiência pode ser alcançada por meio da focalização estratégica. Ao concentrar-se nos exercícios que realmente importam, você não só melhora sua potência no pedal, mas também otimiza seu tempo e esforço, resultando em um treinamento mais inteligente e produtivo.Existem várias técnicas que podem ajudar a aumentar a potência no pedal. Aqui estão algumas delas:

1. Treine regularmente: A prática constante é fundamental para desenvolver a força e resistência muscular necessárias para aumentar a potência no pedal. Faça treinos específicos para fortalecer as pernas, como subidas íngremes ou treinos de intervalo.

2. Trabalhe a cadência: A

Use marchas mais pesadas

Quando o assunto é aumentar a potência no pedal, uma técnica fundamental é o uso eficiente das marchas da bicicleta. A escolha da marcha adequada pode ser a diferença entre um pedal fluido e eficiente e um esforço desgastante que pode levar à fadiga precoce. As marchas mais pesadas, em particular, têm um papel crucial nesse processo.

Para entender melhor, vamos nos aprofundar na mecânica por trás do sistema de transmissão da bicicleta. O conjunto de pedivela, engrenagens e corrente trabalha em harmonia para transferir a força aplicada pelo ciclista aos pneus, propiciando o movimento. Ao optar por uma marcha mais pesada, você está escolhendo uma combinação de engrenagens que exige mais força para ser movida, mas que, em contrapartida, gera maior impulso a cada pedalada.

No entanto, é essencial saber quando e como utilizar essas marchas para otimizar a sua performance. Em terrenos planos ou descidas leves, onde a resistência ao rolamento é menor, as marchas pesadas permitem que você mantenha uma alta velocidade sem necessitar de um aumento proporcional na cadência de pedaladas. Isso significa que você pode cobrir distâncias maiores com menos esforço e manter um ritmo constante e poderoso.

Por outro lado, em subidas íngremes, a utilização de uma marcha muito pesada pode ser contraproducente. Nesse cenário, reduzir a marcha ajuda a manter a cadência e evita que você aplique força excessiva, o que poderia resultar em uma sobrecarga muscular. Portanto, é fundamental sentir a necessidade de mudança e ajustar as marchas para encontrar o equilíbrio entre velocidade e conforto.

Os passadores ou trocadores de marcha localizados no guidão são seus aliados nessa tarefa. Eles permitem que você faça ajustes rápidos e precisos nos câmbios dianteiro e traseiro, adaptando-se às condições do terreno quase instantaneamente. A familiaridade com esses controles é crucial para uma experiência de pedalagem mais eficaz e prazerosa.

A importância de experimentar e se acostumar com as marchas não pode ser subestimada. Cada ciclista tem um estilo único e preferências pessoais quando se trata de cadência e potência. Praticar em diferentes condições e prestar atenção em como seu corpo responde às mudanças de marcha são passos importantes para desenvolver sua habilidade em selecionar a marcha ideal para cada situação.

Em suma, usar marchas mais pesadas é uma estratégia valiosa para aumentar a potência no pedal. No entanto, essa técnica deve ser aplicada com discernimento e acompanhada de um conhecimento sólido sobre o funcionamento do sistema de transmissão da sua bicicleta. Com prática e atenção às sensações do corpo durante o pedal, você estará bem equipado para tirar o máximo proveito das suas marchas e elevar sua performance ciclística a novos patamares.Existem várias técnicas que podem ajudar a aumentar a potência no pedal. Aqui estão algumas delas:

1. Treinamento de força: Realizar exercícios de fortalecimento muscular, como agachamentos e levantamento de peso, pode ajudar a aumentar a potência nas pernas e melhorar o desempenho no pedal.

2. Treinamento intervalado de alta intensidade: Realizar treinos intervalados de

Treine subidas

Quando falamos em ciclismo, a habilidade de pedalar com eficiência em subidas é fundamental para aumentar a potência no pedal. Ao enfrentar uma ladeira, seja em treinos ou competições, é essencial ter uma estratégia e técnica bem definidas para otimizar o desempenho e evitar o esgotamento precoce.

Fortalecimento Muscular Específico

O primeiro passo para melhorar a potência no pedal durante as subidas é focar no fortalecimento das pernas. Isso não significa apenas pedalar em inclinações maiores, mas também realizar exercícios específicos fora da bicicleta. Musculação, agachamentos e lunges são exemplos de atividades que podem contribuir significativamente para o aumento da força muscular. Ao fortalecer os músculos envolvidos no ato de pedalar, você estará preparado para enfrentar as subidas com maior vigor e resistência.

Melhoria da Técnica de Pedalada

Outro aspecto importante é a técnica de pedalada. Em subidas, muitos ciclistas têm a tendência de querer manter a mesma cadência que utilizam em terrenos planos, o que pode ser um erro. Em vez disso, deve-se adaptar a cadência e a postura para maximizar a eficiência. Isso pode significar reduzir a marcha para manter uma cadência mais alta e evitar o desgaste excessivo dos músculos. Além disso, inclinar-se levemente para frente pode ajudar a manter o equilíbrio e aplicar a força de maneira mais eficaz durante cada pedalada.

A prática constante em subidas é essencial. Comece incorporando treinos em inclinações variadas na sua rotina semanal. Isso não só irá melhorar sua resistência e força como também ajudará a desenvolver uma sensação intuitiva do quanto de esforço aplicar em diferentes graus de inclinação.

Você vai gostar:  Descubra o Segredo para um Passeio Confortável: Escolha o Selim Perfeito para sua Bicicleta!

Por fim, lembre-se de que o uso dos braços também pode ser um aliado nas subidas. Utilize-os para impulsionar o corpo e auxiliar na distribuição do esforço, garantindo que você possa manter uma boa velocidade sem sobrecarregar as pernas.

Ao integrar essas técnicas ao seu treinamento, você notará um aumento significativo na sua capacidade de gerar potência no pedal durante as subidas, o que se traduzirá em um desempenho geral muito mais robusto no ciclismo.

Quer turbinar seu desempenho nas pedaladas? Então, se liga nessas dicas! Primeiro, fortaleça seu core com exercícios específicos, pois um tronco firme é essencial para transferir mais força para os pedais. Não esqueça de ajustar sua bike corretamente, a ergonomia faz toda a diferença. Para se aprofundar ainda mais, dê uma olhada no Bicycling, um site cheio de dicas para ciclistas. Além disso, inclua treinos intervalados de alta intensidade para aumentar sua capacidade cardiorrespiratória. Bora pedalar mais forte?

1. Como o treinamento de força pode ajudar a aumentar a potência no pedal?


Resposta: O treinamento de força é fundamental para fortalecer os músculos das pernas, o que resulta em um aumento da potência no pedal. Exercícios como agachamentos, levantamento de peso e pedaladas em subidas íngremes são eficazes para desenvolver a força muscular necessária para impulsionar a bicicleta com mais potência.

2. O que são treinos em blocos e como eles podem contribuir para o aumento da potência no pedal?


Resposta: Os treinos em blocos consistem na execução de séries de atividades segmentadas, com o objetivo de promover estímulos variados aos músculos e ao sistema cardiovascular. Essa variação de esforços entre intensos e moderados estimula os músculos a se adaptarem e aumentarem sua capacidade de trabalho, resultando em ganhos significativos de força e resistência, o que contribui para o aumento da potência no pedal.

3. Quais são os benefícios dos treinos em blocos para ciclistas?


Resposta: Os treinos em blocos simulam as condições reais de uma corrida ou passeio de bicicleta, onde há momentos de explosão seguidos por períodos de recuperação. Ao incorporar essa dinâmica nos treinos, os ciclistas preparam seus corpos para responder adequadamente às demandas do esporte. Além disso, essa metodologia contribui para o aumento da capacidade aeróbica e anaeróbica, melhorando a eficiência do consumo de oxigênio e a capacidade de realizar esforços sem depender exclusivamente do oxigênio.

4. Qual é a importância da personalização do treino em blocos?


Resposta: Cada ciclista possui características únicas e objetivos distintos, por isso é essencial personalizar o treino em blocos. A duração dos exercícios, os intervalos de descanso e a intensidade devem ser ajustados de acordo com o nível de condicionamento físico e as metas individuais. O acompanhamento profissional é valioso nesse processo, garantindo que os treinos sejam seguros e efetivos.

5. O que é a regra 80-20 e como ela pode ser aplicada para aumentar a potência no pedal?


Resposta: A regra 80-20, inspirada no princípio de Pareto, consiste em identificar as atividades-chave que contribuem majoritariamente para o aumento da potência no pedal. Cerca de 80% dos ganhos vêm de apenas 20% dos tipos de treinos ou práticas realizadas. A aplicação dessa regra envolve direcionar o foco para os exercícios que realmente impulsionam a performance, ajustando o cronograma semanal para incluir mais sessões que enfatizem a resistência muscular e a capacidade anaeróbica.

6. Como identificar os exercícios com alto impacto na potência no pedal?


Resposta: É necessário realizar uma análise criteriosa do plano de treinamento atual para identificar os exercícios que realmente fazem diferença na potência no pedal. Sessões de intervalo de alta intensidade, treinos em subidas ou exercícios específicos de força podem ser exemplos desses exercícios com alto impacto. Ao identificá-los, é possível dedicar mais tempo e energia a eles, garantindo que o treinamento esteja alinhado com o desenvolvimento da potência.

7. Como aplicar a regra 80-20 na prática?


Resposta: A aplicação prática da regra 80-20 envolve ajustar o cronograma semanal para incluir mais sessões que enfatizem os exercícios com alto impacto na potência no pedal, reduzindo as atividades de menor impacto. Por exemplo, se os treinos intervalados são os que mais contribuem para o aumento da potência, eles devem ser priorizados na rotina semanal. É importante lembrar que os exercícios menos impactantes ainda têm seu lugar, pois contribuem para a recuperação e evitam o sobre-treinamento.

8. Como usar marchas mais pesadas pode aumentar a potência no pedal?


Resposta: O uso eficiente das marchas da bicicleta é fundamental para aumentar a potência no pedal. As marchas mais pesadas exigem mais força para serem movidas, mas geram um impulso maior a cada pedalada. Ao escolher as marchas adequadas, é possível manter uma alta velocidade em terrenos planos ou descidas leves com menos esforço, mantendo um ritmo constante e poderoso.

9. Como escolher a marcha adequada durante as subidas?


Resposta: Durante as subidas, é importante adaptar a cadência e a postura para maximizar a eficiência do pedal. Reduzir a marcha ajuda a manter uma cadência mais alta e evitar o desgaste excessivo dos músculos. No entanto, é fundamental sentir a necessidade de mudança e ajustar as marchas para encontrar o equilíbrio entre velocidade e conforto.

10. Como fortalecer as pernas pode melhorar a potência no pedal durante as subidas?


Resposta: O fortalecimento das pernas é essencial para melhorar a potência no pedal durante as subidas. Além do pedalar em inclinações maiores, exercícios específicos fora da bicicleta, como musculação, agachamentos e lunges, contribuem significativamente para o aumento da força muscular nas pernas. Isso prepara o ciclista para enfrentar as subidas com maior vigor e resistência.

11. Qual é a importância da técnica de pedalada durante as subidas?


Resposta: A técnica de pedalada durante as subidas é essencial para maximizar a eficiência do pedal. É importante adaptar a cadência e a postura para evitar desgaste excessivo dos músculos. Reduzir a marcha e manter uma cadência mais alta ajuda nesse processo. Além disso, utilizar os braços para impulsionar o corpo auxilia na distribuição do esforço.

Você vai gostar:  Descendo com Destreza: 7 Dicas para Aperfeiçoar sua Técnica

12. Por que é importante praticar constantemente subidas?


Resposta: A prática constante em subidas é fundamental para melhorar resistência e força nas pernas durante esse tipo de terreno. Incorporar treinos em inclinações variadas na rotina semanal ajuda o ciclista a desenvolver uma sensação intuitiva do quanto de esforço aplicar em diferentes graus de inclinação.

13. Como os braços podem auxiliar nas subidas?


Resposta: Os braços podem ser utilizados como aliados nas subidas ao ajudar na distribuição do esforço durante o pedal. Utilizá-los para impulsionar o corpo auxilia na manutenção da velocidade sem sobrecarregar as pernas.

14. Por que é importante experimentar diferentes marchas durante o pedal?


Resposta: Cada ciclista tem um estilo único e preferências pessoais quando se trata de cadência e potência no pedal. Experimentar diferentes marchas em diferentes condições permite ao ciclista desenvolver sua habilidade em selecionar a marcha ideal para cada situação, encontrando um equilíbrio entre velocidade e conforto.

15. Quais são os benefícios de aumentar a potência no pedal durante as subidas?


Resposta: Aumentar a potência no pedal durante as subidas resulta em um desempenho geral mais robusto no ciclismo. Isso proporciona maior vigor e resistência nas pernas, permitindo enfrentar ladeiras com mais eficiência e evitar o esgotamento precoce.

  • Realize treinos em blocos
  • Utilize a regra 80-20
  • Use marchas mais pesadas
  • Treine subidas

Técnica Descrição
Treinos em blocos Realizar séries de atividades segmentadas para estimular os músculos e o sistema cardiovascular.
Regra 80-20 Focar nas atividades-chave que contribuem majoritariamente para o aumento da potência.
Marchas mais pesadas Utilizar as marchas adequadas para otimizar a força e o impulso a cada pedalada.
Treino de subidas Fortalecer as pernas e aprimorar a técnica de pedalada para enfrentar as subidas com eficiência.

– Treinamento de força: Realizar exercícios específicos para fortalecer os músculos das pernas, como agachamentos, levantamento de peso e pedaladas em subidas íngremes, pode ajudar a aumentar a potência no pedal.
– Intervalos de alta intensidade: Incluir intervalos de treinamento com picos de esforço intenso intercalados com períodos de recuperação pode melhorar a capacidade de geração de potência no pedal.
– Treinos em blocos: Realizar séries de atividades segmentadas, com exercícios distintos que desafiam o corpo de maneiras diferentes, pode resultar em ganhos significativos de força e resistência.
– Regra 80-20: Identificar as atividades-chave que contribuem majoritariamente para o aumento da potência e direcionar o foco para elas, otimizando o treinamento.
– Uso de marchas mais pesadas: Escolher a combinação de engrenagens que exige mais força para ser movida, gerando maior impulso a cada pedalada.
– Treinar subidas: Fortalecer as pernas através de exercícios específicos e adaptar a cadência e a postura durante as subidas para maximizar a eficiência.

Entendendo a Biomecânica do Ciclismo

Além das técnicas específicas para aumentar a potência no pedal, é fundamental que os ciclistas compreendam a biomecânica do ciclismo. Este conhecimento permite ajustar a postura e o posicionamento no selim de maneira que se possa otimizar cada movimento, reduzindo o risco de lesões e melhorando a eficiência. Entender como diferentes músculos são ativados durante o ciclo de pedalada pode ajudar a focar em exercícios complementares de fortalecimento, como agachamentos e levantamento de peso, que são essenciais para construir uma base sólida de força muscular. Além disso, ajustar corretamente a bicicleta às suas medidas corporais pode fazer uma diferença significativa na sua capacidade de gerar potência e manter a resistência ao longo de longas distâncias.

A Importância da Nutrição e Hidratação no Desempenho Ciclístico

Outro aspecto crucial que impacta diretamente na potência do pedal é a nutrição e hidratação adequadas. Para manter um alto nível de desempenho, é necessário fornecer ao corpo os nutrientes essenciais que irão alimentar os músculos durante o exercício prolongado. Uma dieta equilibrada, rica em carboidratos complexos, proteínas de alta qualidade e gorduras saudáveis, é vital para a recuperação muscular e para manter os níveis de energia. A hidratação também não pode ser negligenciada; a perda de fluidos através do suor pode levar à fadiga precoce e diminuição da força muscular. Portanto, assegurar uma ingestão adequada de líquidos antes, durante e após o ciclismo é um componente chave para maximizar sua potência no pedal e alcançar os melhores resultados.

Fontes

*BRASIL, Flávio de Oliveira. *A importância do desempenho da capacidade de força muscular para atletas de endurance*. Belo Horizonte: UFMG, 2009. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/BUBD-9ZLHLX/1/import_ncia_do_desempenho_da_capacidade_for_a_muscular_para_.pdf. Acesso em: 18 abr. 2023.

*FONSECA, Marília Duarte; BALBINO, Henrique Macedo; GROSSI, Dário Bemfica; et al. *Análise biomecânica do movimento no gesto desportivo do ciclismo: uma revisão da literatura*. Cruz Alta: UNICRUZ, 2018. Disponível em: https://home.unicruz.edu.br/seminario/anais/anais-2018/XXIII%20SEMINARIO%20INTERINSTITUCIONAL/Ciencias%20Biologicas%20e%20da%20Saude/Mostra%20de%20Iniciacao%20Cientifica%20-%20RESUMO%20EXPANDIDO/AN%C3%81LISE%20BIOMEC%C3%82NICA%20DO%20MOVIMENTO%20NO%20GESTO%20DESPORTIVO%20DO%20CICLISMO%20-%20UMA%20REVIS%C3%83O%20DA%20LITERATURA%20(7718).pdf. Acesso em: 18 abr. 2023.

*GARMIN. *Rally Series – Manual do Utilizador*. 2021. Disponível em: https://www8.garmin.com/manuals/webhelp/GUID-F384D11E-79B0-4D97-BB69-DD8922C20299/PT-BR/Rally_series_OM_PT-BR.pdf. Acesso em: 18 abr. 2023.

*GENERAL WINGS. *Manual Java Sport*. Disponível em: https://www.generalwings.com.br/pdfs/manualjavasport.pdf. Acesso em: 18 abr. 2023.

*SILVA, Jorge Alberto da; OLIVEIRA, Dalton Müller Pinto. *Efeitos da periodização no desenvolvimento da força muscular e da resistência aeróbia*. Revista da Educação Física/UEM, v. 12, n. 1, p. 71-77, 2001. Disponível em: https://www.revista.ueg.br/index.php/movimenta/article/download/7167/4929/. Acesso em: 18 abr. 2023.