Dupla de Assaltantes com Idades entre 50 e 60 Anos Aterroriza Ciclistas na Floresta da Tijuca

Associação de Ciclismo do Sendero Transcarioca alerta para aumento de assaltos nas trilhas do Parque Nacional da Tijuca

Membros da Associação de Ciclismo do Sendero Transcarioca relataram um aumento preocupante de assaltos nas trilhas que ligam a Vista Chinesa ao Corcovado, no Parque Nacional da Tijuca. Os ciclistas regulares afirmam que os delinquentes responsáveis pelos ataques são amplamente conhecidos e atuam em duplas.

Segundo os relatos, duas duplas são responsáveis pela maioria dos assaltos. Em uma delas, um dos criminosos é descrito como caucasiano, entre 50 e 60 anos, de porte magro e cabelos grisalhos, enquanto o outro é afrodescendente de olhos claros. Na outra dupla, um dos assaltantes é descrito como uma pessoa com uma perna amputada.

Os ataques ocorrem principalmente entre as 10h e as 14h, tanto a pé quanto de moto. Os momentos de maior incidência são nos fins de semana e feriados, quando há um fluxo maior de pessoas, incluindo turistas. A falta de identificação e ação por parte da polícia têm frustrado os ciclistas, que já apelidaram os criminosos.

Os ladrões têm como alvo os objetos pessoais dos ciclistas, como celulares, relógios e calçados esportivos famosos. As bicicletas raramente são roubadas, pois são mais pesadas e difíceis de manusear. No entanto, a região tem sido palco de assaltos frequentes nos últimos dois meses.

O número de assaltos pode ser ainda maior do que o registrado, já que muitas vítimas não denunciam os incidentes às autoridades por falta de vigilância nas áreas afetadas, como a Vista Chinesa, Mesa do Imperador e Pedra da Proa.

O jornal O Globo visitou a região em 23 de novembro do ano passado e constatou a sensação de tensão entre os visitantes. Um professor chamado Felipe de Lima Alves relatou sua experiência e destacou a falta de segurança no local.

Você vai gostar:  Alice de Melo Brilha e Vence Etapa de Contrarrelógio na 11ª Volta Ciclística Feminina

Coordenador da trilha no parque alerta para o modus operandi dos criminosos

O coordenador da trilha no Parque Nacional da Tijuca, Carlos Alberto Pereira, ressalta que os assaltos aos ciclistas são frequentes, mas as bicicletas não são o alvo preferencial. Os ladrões abordam os ciclistas para roubar seus pertences e, em seguida, retêm a pessoa para evitar que denunciem o crime.

Recentemente, cinco ciclistas foram roubados em uma praça próxima a uma trilha que leva ao Morro do Laboriaux, na Rocinha. Em um dos assaltos, um homem ficou ferido ao resistir aos criminosos.

A Associação de Ciclismo do Sendero Transcarioca pede que os visitantes redobrem a precaução ao praticar ciclismo nas trilhas próximas ao Parque Nacional da Tijuca. A segurança dos ciclistas e turistas deve ser prioridade, garantindo assim um ambiente seguro para a prática de esportes e lazer.

Resumo da Notícia
Delinquentes atuam nas trilhas entre a Vista Chinesa e o Corcovado
Duplas de criminosos são conhecidas pelos ciclistas regulares
Ataques ocorrem entre as 10h e as 14h, nos fins de semana e feriados
Foco dos ladrões está nos objetos pessoais dos ciclistas
Pelo menos 18 pessoas foram assaltadas nos últimos dois meses
Região carece de vigilância em áreas como Vista Chinesa, Mesa do Imperador e Pedra da Proa
Assalto recente resultou em ferido ao resistir aos criminosos

Com informações do site Extra.

Deixe um comentário