Dicas para melhorar a técnica de pedalada em subidas.

Você já se deparou com aquela subida íngreme e sentiu que a sua técnica de pedalada poderia ser melhor? Ao enfrentar um desafio como este, o controle do ritmo e o uso do equipamento adequado são fundamentais. Mas você sabe como adequar sua respiração e manter a cadência ideal para otimizar seu desempenho em subidas?

No Bike Fix Brasil, compreendemos a importância de cada detalhe na hora da ascensão. Será que você está ajustando corretamente a altura do selim ou considerando a postura ideal durante o esforço? E como a estratégia de zigue-zague pode ser uma aliada nas subidas mais íngremes? Continue lendo para descobrir as melhores técnicas que vão transformar sua experiência ao pedalar montanha acima!

Dicas para Aprimorar a Técnica de Pedalada em Subidas

  • Controle do ritmo: Inicie a subida com um ritmo que possa ser mantido para evitar fadiga prematura.
  • Equipamento adequado: Use uma bicicleta com marchas apropriadas para subidas e aprenda a trocar de marcha eficientemente, mantendo a cadência ideal entre 60-80 RPM.
  • Respiração controlada: Respire profundamente pelo nariz e expire lentamente, para manter um fluxo de oxigênio constante e evitar falta de ar.
  • Ritmo constante de pedalada: Experimente manter uma cadência em torno de 90 RPM ou encontre o ritmo mais confortável para o seu desempenho.
  • Postura adequada: Ajuste sua postura de acordo com a necessidade, alternando entre pedalar sentado e em pé para otimizar o esforço e a velocidade.
  • Altura do selim correta: Ajuste o selim para evitar lesões e desconforto, permitindo uma extensão quase completa da perna ao pedalar.
  • Estratégia de zigue-zague: Utilize a técnica de zigue-zague em subidas íngremes para reduzir a inclinação efetiva, mas faça isso com cautela em áreas com tráfego.
  • Explore novos caminhos: Planeje rotas alternativas se uma subida for muito desafiadora, procurando opções com menor inclinação ou trechos escalonados.

Lembre-se destas dicas para enfrentar subidas com mais eficácia e desfrutar de um melhor desempenho nas suas pedaladas!

Dica: Ao enfrentar uma subida, é importante controlar seu ritmo e evitar começar com muita intensidade. Use o equipamento adequado, como as marchas corretas, para ajustar a resistência conforme necessário. Mantenha uma cadência constante de aproximadamente 90 rotações por minuto para melhor utilização do oxigênio pelo corpo. Controle sua respiração, inspirando profundamente pelo nariz e expirando lentamente. Mantenha uma postura adequada e ajuste a altura do selim corretamente. Explore novos caminhos e, se necessário, utilize a estratégia de zigue-zague em subidas íngremes. Seguindo essas dicas, você estará mais preparado para enfrentar subidas com eficiência e aproveitar ao máximo suas pedaladas!
Aqui estão algumas dicas para melhorar a técnica de pedalada em subidas:

1. Mantenha uma cadência constante: Tente manter uma cadência constante ao subir uma colina. Isso significa pedalar a uma velocidade constante, em vez de empurrar com muita força e depois diminuir a velocidade. Uma cadência ideal é entre 70-90 rotações por minuto.

2. Use a marcha cor

Controle seu ritmo

Pedalar em subidas pode ser um dos maiores desafios para ciclistas de todos os níveis. A técnica correta é essencial para otimizar o esforço e melhorar o desempenho. Uma das dicas mais valiosas para encarar as subidas é controlar o ritmo da pedalada. Isso significa manter uma cadência constante e confortável, evitando acelerações repentinas que podem levar ao esgotamento prematuro.

Ajuste a Cadência à Inclinação

A cadência ideal varia de acordo com a inclinação da subida e a condição física do ciclista. Em aclives leves, pode-se manter uma cadência mais alta, próxima daquela usada em terreno plano. Já em subidas íngremes, é natural que a cadência diminua; contudo, deve-se evitar que ela caia a ponto de tornar a pedalada excessivamente pesada e ineficiente. Encontrar um equilíbrio entre a cadência e o esforço aplicado é crucial para manter o controle sobre a bicicleta e sobre o próprio corpo.

Gerenciamento do Esforço Físico

O gerenciamento do esforço físico está intrinsecamente ligado ao controle do ritmo. Ao enfrentar uma subida, é importante não exceder os limites do corpo logo no início. Distribuir o esforço de maneira uniforme ao longo da escalada pode fazer a diferença entre alcançar o topo com energia ou ficar pelo caminho. Monitorar a frequência cardíaca e a percepção subjetiva do esforço são métodos eficazes para garantir que você não esteja se sobrecarregando.

A explosividade na técnica de pedalada também desempenha um papel importante. Variações estratégicas na intensidade podem ser usadas para superar trechos particularmente difíceis ou para ajustar o ritmo em resposta às mudanças de inclinação. No entanto, essas variações devem ser calculadas e não fruto de impulsividade, mantendo sempre uma visão geral do esforço necessário para toda a subida.

Em suma, controlar o ritmo durante uma subida não é apenas uma questão de manter uma cadência constante, mas também de entender e respeitar os sinais do seu corpo, ajustando-se às condições da estrada e à sua própria condição física. Com prática e atenção aos detalhes, você poderá melhorar significativamente sua técnica de pedalada em subidas, tornando-as menos intimidadoras e mais conquistáveis.Aqui estão algumas dicas para melhorar sua técnica de pedalada em subidas:

1. Mantenha uma cadência constante: Tente manter uma cadência de pedalada constante, mesmo em subidas íngremes. Isso ajudará a distribuir a carga entre os músculos das pernas e evitará que você fique sobrecarregado.

2. Use a marcha correta: Certifique-se de escolher a marcha adequ

Use o equipamento adequado

Ao enfrentar subidas desafiadoras com minha bicicleta, aprendi que a escolha do equipamento certo é uma decisão que pode fazer toda a diferença. Não se trata apenas de ter uma bike de qualidade; é crucial considerar cada componente. Por exemplo, os pneus devem oferecer boa tração e ser capazes de suportar terrenos irregulares sem comprometer o desempenho. Além disso, a utilização de pedais adequados, que permitam uma transferência eficiente de energia para a bicicleta, é vital. Isso significa que, em muitos casos, pedais de encaixe podem ser mais benéficos do que os tradicionais, pois eles garantem que cada pedalada proporcione o máximo impulso possível.

Outro aspecto importante é a vestimenta. Roupas leves e respiráveis são essenciais para manter o conforto durante o esforço prolongado das subidas. A escolha de um selim confortável também não deve ser negligenciada, já que uma posição inadequada pode causar desconforto e até lesões ao longo do tempo. E não podemos esquecer dos equipamentos de proteção individual, como capacetes e luvas, que são indispensáveis para a segurança do ciclista.

Você vai gostar:  Como manter a concentração durante provas de ciclismo de longa distância?

Por fim, considerar o ajuste da bicicleta ao meu corpo foi um passo crítico. A altura correta do selim e o posicionamento do guidão podem influenciar significativamente na eficiência da pedalada e no controle da bicicleta em subidas íngremes. Ajustes precisos garantem que eu possa manter uma postura correta, reduzindo a fadiga muscular e permitindo que eu me concentre totalmente na técnica de pedalada. Portanto, antes de encarar uma subida desafiadora, sempre verifico se meu equipamento está otimizado para esse tipo de esforço, garantindo assim não só um melhor desempenho mas também a minha segurança durante o percurso.Aqui estão algumas dicas para melhorar a técnica de pedalada em subidas:

1. Mantenha uma cadência constante: Tente manter uma cadência constante ao pedalar em subidas. Isso significa manter um ritmo constante de pedalada, em vez de alternar entre pedalar rápido e devagar. Uma cadência mais alta pode ajudar a reduzir a pressão nas pernas e tornar a subida mais eficiente.

Respiração adequada

Dominar a técnica de pedalada em subidas é um desafio que exige mais do que força e resistência: envolve também uma respiração eficiente. Quando enfrentamos uma elevação, nosso corpo demanda mais oxigênio, e é aí que a respiração adequada se torna crucial. Para otimizar o desempenho durante a escalada, é essencial adotar técnicas de respiração que maximizem a entrada de ar e facilitem a oxigenação muscular.

Uma estratégia eficaz é focar na respiração diafragmática, ou abdominal. Esta técnica consiste em respirar profundamente pelo nariz, permitindo que o diafragma – e não apenas o tórax – se movimente, o que resulta em uma maior capacidade pulmonar. O ar deve encher primeiramente a parte inferior dos pulmões, expandindo o abdômen, e só então elevar o peito.

Outro ponto importante é manter um ritmo constante na respiração. Sincronizar a respiração com as pedaladas pode ajudar a estabelecer um fluxo que mantenha o equilíbrio entre a demanda e o fornecimento de oxigênio. Por exemplo, inspire durante três ou quatro pedaladas e expire nas três ou quatro seguintes. Isso evita a hiperventilação e assegura uma distribuição adequada de oxigênio para os músculos trabalhando intensamente.

Além disso, em momentos de esforço extremo, como nas subidas mais íngremes, pode-se recorrer à respiração pela boca para aumentar o volume de ar inspirado. No entanto, essa técnica deve ser utilizada com cautela para não levar à perda do controle da respiração.

Implementar essas práticas não apenas melhora a eficiência da pedalada, mas também contribui para retardar o aparecimento da fadiga. Ao melhorar sua técnica de respiração, você estará equipado para enfrentar subidas com maior confiança e desempenho. Lembre-se: treinar a respiração é tão importante quanto treinar as pernas. Afinal, sem oxigênio adequado, até os músculos mais fortes encontram seus limites.Aqui estão algumas dicas para melhorar a técnica de pedalada em subidas:

1. Fique na marcha correta: Ao subir uma colina, é importante escolher a marcha correta para manter um ritmo constante e eficiente. Use uma marcha mais leve para evitar sobrecarregar as pernas e manter a cadência adequada.

2. Mantenha o corpo relaxado: É importante manter os ombros relaxados

Ritmo da pedalada

Ao encarar subidas em percursos de bicicleta, a técnica de pedalada assume um papel ainda mais crítico. A busca pelo equilíbrio entre força e frequência torna-se um desafio que, se bem administrado, pode significar a diferença entre uma subida eficiente e uma experiência exaustiva.

Entender a própria capacidade física é o ponto de partida para qualquer ajuste no ritmo da pedalada. Ao iniciar uma subida, é comum o instinto nos levar a aplicar uma quantidade excessiva de força nos pedais, na tentativa de manter a velocidade. Contudo, essa estratégia pode resultar em fadiga precoce e ineficiência energética.

A modulação da força aplicada deve ser cuidadosamente gerida. Em vez de optar por marchas excessivamente pesadas, que demandam grande esforço muscular, é recomendável selecionar uma cadência que permita manter o ritmo sem sobrecarregar as pernas. Isso não significa que devemos evitar completamente a força; pelo contrário, ela é necessária, mas deve ser utilizada de maneira inteligente e sustentável ao longo da subida.

Por outro lado, a frequência das pedaladas em subidas deve ser ajustada para evitar o gasto excessivo de energia. Não é raro ver ciclistas tentando manter uma cadência muito alta em inclinações acentuadas, o que pode levar à exaustão e à perda de controle sobre a bicicleta. O objetivo deve ser encontrar um ponto ótimo onde a frequência das pedaladas esteja alinhada com a resistência oferecida pela subida e com a capacidade aeróbica do ciclista.

Para auxiliar nesse processo, o uso de um ciclômetro ou computador de bordo pode ser extremamente útil. Estes dispositivos permitem monitorar a frequência das pedaladas em tempo real, ajudando o ciclista a manter-se dentro da faixa ideal para seu condicionamento e para o tipo de subida que está enfrentando.

Além disso, é fundamental prestar atenção ao movimento do corpo. A postura correta ao pedalar em subidas envolve manter as costas retas e utilizar os músculos do core para estabilizar o movimento. Um balanço excessivo do corpo ou um uso inadequado das costas pode indicar que estamos empregando mais força do que o necessário, ou que estamos lutando contra uma marcha inadequada para aquele momento.

A prática constante e a auto-observação são aliadas indispensáveis na busca pela melhoria da técnica de pedalada em subidas. Com o tempo, o ciclista desenvolve uma maior sensibilidade para ajustar seu ritmo de forma automática, adaptando-se às variações do terreno e às suas próprias condições físicas no dia. Dessa forma, a subida, antes vista como um obstáculo temido, passa a ser encarada como mais uma etapa gratificante do percurso ciclístico.

Quer elevar seu jogo nas subidas? A técnica de pedalada é crucial para conquistar aqueles morros sem desgaste excessivo. Primeiro, mantenha um ritmo constante e não force demais no começo. A postura também é importante: incline-se para frente, distribuindo o peso. Para mais dicas, confira o Bicycling, um site repleto de conselhos de experts. E lembre-se, a prática leva à perfeição!

1. Qual é a importância de controlar o ritmo da pedalada ao enfrentar subidas?


R: Controlar o ritmo da pedalada é essencial para otimizar o esforço e melhorar o desempenho ao enfrentar subidas. Manter uma cadência constante e confortável evita acelerações repentinas que podem levar ao esgotamento prematuro.

Você vai gostar:  Como escolher o tamanho correto de quadro de bicicleta?

2. Como ajustar a cadência à inclinação da subida?


R: A cadência ideal varia de acordo com a inclinação da subida e a condição física do ciclista. Em aclives leves, pode-se manter uma cadência mais alta, próxima daquela usada em terreno plano. Já em subidas íngremes, a cadência tende a diminuir, mas deve-se evitar que fique muito baixa, pois isso tornaria a pedalada excessivamente pesada e ineficiente.

3. Qual é a importância do gerenciamento do esforço físico ao enfrentar subidas?


R: Gerenciar o esforço físico é fundamental ao enfrentar subidas. É importante não exceder os limites do corpo logo no início da subida e distribuir o esforço de maneira uniforme ao longo dela. Monitorar a frequência cardíaca e a percepção subjetiva do esforço são métodos eficazes para garantir que você não esteja se sobrecarregando.

4. Como a explosividade na técnica de pedalada pode ajudar em subidas?


R: Variações estratégicas na intensidade da pedalada podem ser usadas para superar trechos difíceis ou ajustar o ritmo em resposta às mudanças de inclinação. No entanto, é importante calcular essas variações e não agir impulsivamente, mantendo sempre uma visão geral do esforço necessário para toda a subida.

5. Quais são as dicas para melhorar a técnica de pedalada em subidas?


R: Algumas dicas incluem manter uma cadência constante, usar a marcha correta, manter o corpo relaxado, ajustar o equipamento adequado e praticar uma respiração adequada para maximizar a entrada de ar e facilitar a oxigenação muscular.

6. Por que é importante escolher a marcha correta ao subir uma colina?


R: Escolher a marcha correta é fundamental para manter um ritmo constante e eficiente ao subir uma colina. Usar uma marcha mais leve evita sobrecarregar as pernas e ajuda a manter a cadência adequada.

7. Como manter o corpo relaxado ao pedalar em subidas?


R: Manter os ombros relaxados e evitar tensões desnecessárias no corpo durante a pedalada em subidas é importante para evitar fadiga muscular excessiva e melhorar o desempenho.

8. Qual é a importância da respiração adequada ao pedalar em subidas?


R: Uma respiração adequada é crucial ao pedalar em subidas, pois ajuda na oxigenação muscular e melhora o desempenho geral. A respiração diafragmática, focando na entrada de ar pela parte inferior dos pulmões, permite uma maior capacidade pulmonar e contribui para retardar o aparecimento da fadiga.

9. Como sincronizar a respiração com as pedaladas em subidas?


R: Sincronizar a respiração com as pedaladas ajuda a estabelecer um fluxo que mantém o equilíbrio entre a demanda e o fornecimento de oxigênio. Por exemplo, inspirar durante três ou quatro pedaladas e expirar nas três ou quatro seguintes evita a hiperventilação e garante uma distribuição adequada de oxigênio para os músculos trabalhando intensamente.

10. Como ajustar o ritmo da pedalada de acordo com a resistência oferecida pela subida?


R: A frequência das pedaladas deve ser ajustada para evitar o gasto excessivo de energia ao enfrentar subidas. É importante encontrar um ponto ótimo onde a frequência das pedaladas esteja alinhada com a resistência oferecida pela subida e com a capacidade aeróbica do ciclista.

11. Qual é o papel do uso de um ciclômetro ou computador de bordo na melhoria da técnica de pedalada em subidas?


R: O uso de um ciclômetro ou computador de bordo permite monitorar a frequência das pedaladas em tempo real, ajudando o ciclista a manter-se dentro da faixa ideal para seu condicionamento e para o tipo de subida que está enfrentando.

12. Por que é importante prestar atenção ao movimento do corpo ao pedalar em subidas?


R: Prestar atenção ao movimento do corpo durante as pedaladas em subidas ajuda a identificar se estamos aplicando mais força do que o necessário ou lutando contra uma marcha inadequada para aquele momento. Manter uma postura correta reduz a fadiga muscular e permite um melhor controle da bicicleta.

13. Como desenvolver sensibilidade para ajustar automaticamente o ritmo da pedalada em subidas?


R: Com prática constante e auto-observação, o ciclista desenvolve sensibilidade para ajustar automaticamente seu ritmo de pedalada em subidas, adaptando-se às variações do terreno e às suas próprias condições físicas no dia.

14. Por que treinar a técnica de respiração é tão importante quanto treinar as pernas ao enfrentar subidas?


R: Treinar a técnica de respiração é tão importante quanto treinar as pernas ao enfrentar subidas porque sem oxigênio adequado, até os músculos mais fortes encontram seus limites. Uma respiração eficiente contribui para retardar a fadiga muscular e melhorar o desempenho geral.

15. Como encarar as subidas como etapas gratificantes do percurso ciclístico?


R: Com prática constante, ajustes na técnica de pedalada e atenção aos detalhes, as subidas podem ser encaradas como etapas gratificantes do percurso ciclístico. À medida que você melhora sua habilidade na técnica de pedalada em subidas, elas se tornam menos intimidadoras e mais conquistáveis, proporcionando uma sensação de superação pessoal e satisfação ao alcançar o topo.

  • Controle seu ritmo
  • Ajuste a cadência à inclinação
  • Gerenciamento do esforço físico
  • Use o equipamento adequado
  • Respiração adequada
  • Ritmo da pedalada

Controle seu ritmo Use o equipamento adequado
Pedalar em subidas pode ser um dos maiores desafios para ciclistas de todos os níveis. A técnica correta é essencial para otimizar o esforço e melhorar o desempenho. Uma das dicas mais valiosas para encarar as subidas é controlar o ritmo da pedalada. Isso significa manter uma cadência constante e confortável, evitando acelerações repentinas que podem levar ao esgotamento prematuro. Ao enfrentar subidas desafiadoras com minha bicicleta, aprendi que a escolha do equipamento certo é uma decisão que pode fazer toda a diferença. Não se trata apenas de ter uma bike de qualidade; é crucial considerar cada componente. Por exemplo, os pneus devem oferecer boa tração e ser capazes de suportar terrenos irregulares sem comprometer o desempenho. Além disso, a utilização de pedais adequados, que permitam uma transferência eficiente de energia para a bicicleta, é vital.
Respiração adequada Ritmo da pedalada
Dominar a técnica de pedalada em subidas é um desafio que exige mais do que força e resistência: envolve também uma respiração eficiente. Quando enfrentamos uma elevação, nosso corpo demanda mais oxigênio, e é aí que a respiração adequada se torna crucial. Para otimizar o desempenho durante a escalada, é essencial adotar técnicas de respiração que maximizem a entrada de ar e facilitem a oxigenação muscular. Ao encarar subidas em percursos de bicicleta, a técnica de pedalada assume um papel ainda mais crítico. A busca pelo equilíbrio entre força e frequência torna-se um desafio que, se bem administrado, pode significar a diferença entre uma subida eficiente e uma experiência exaustiva.
Você vai gostar:  Domine as Subidas e Descidas no Ciclismo: Dicas de Segurança

– Cadência: é a velocidade de pedalada, medida em rotações por minuto (rpm). Manter uma cadência constante ao subir uma colina é importante para distribuir o esforço e evitar o esgotamento prematuro.

– Marcha correta: escolher a marcha adequada para manter um ritmo constante e eficiente durante a subida. Uma marcha mais leve evita sobrecarregar as pernas e ajuda a manter a cadência adequada.

– Gerenciamento do esforço físico: distribuir o esforço de maneira uniforme ao longo da subida, evitando exceder os limites do corpo logo no início. Monitorar a frequência cardíaca e a percepção subjetiva do esforço são métodos eficazes para evitar sobrecargas.

– Explosividade na técnica de pedalada: variações estratégicas na intensidade da pedalada podem ser usadas para superar trechos difíceis ou ajustar o ritmo em resposta às mudanças de inclinação. Porém, é importante calcular essas variações e não agir impulsivamente.

– Equipamento adequado: escolher o equipamento certo é essencial para enfrentar subidas desafiadoras. Isso inclui pneus com boa tração, pedais que permitam uma transferência eficiente de energia, roupas leves e respiráveis, selim confortável e equipamentos de proteção individual.

– Respiração adequada: adotar técnicas de respiração que maximizem a entrada de ar e facilitem a oxigenação muscular. A respiração diafragmática, focando na expansão do abdômen, e manter um ritmo constante na respiração são estratégias eficazes.

– Ritmo da pedalada: buscar o equilíbrio entre força e frequência durante a subida. Modular a força aplicada de forma inteligente e sustentável, selecionando uma cadência que permita manter o ritmo sem sobrecarregar as pernas. Ajustar a frequência das pedaladas para evitar gasto excessivo de energia.

– Movimento do corpo: manter a postura correta, com as costas retas e utilizando os músculos do core para estabilizar o movimento. Evitar balanços excessivos do corpo e uso inadequado das costas.

– Prática constante e auto-observação: desenvolver sensibilidade para ajustar o ritmo de forma automática, adaptando-se às variações do terreno e às próprias condições físicas.

Entendendo a Relação de Marchas em Diferentes Terrenos

Ao finalizarmos a discussão sobre como melhorar a técnica de pedalada em subidas, é fundamental abordarmos um tema estreitamente relacionado: a escolha correta da relação de marchas. A seleção adequada das marchas pode fazer uma diferença significativa na eficiência e no conforto ao pedalar em diferentes terrenos. Em subidas íngremes, por exemplo, utilizar marchas mais leves permite manter uma cadência constante sem sobrecarregar excessivamente os músculos. Por outro lado, em terrenos planos ou descidas, marchas mais pesadas podem ser empregadas para maximizar a velocidade. Compreender como ajustar as marchas de acordo com o relevo e sua própria capacidade física é crucial para otimizar o desempenho e evitar fadiga precoce.

A Importância do Treinamento de Força para Ciclistas

Além da técnica e da estratégia de seleção de marchas, o treinamento de força específico para ciclistas é outro tópico que merece atenção. Muitas vezes, subestimamos o papel da força muscular quando se trata de pedalar em subidas. No entanto, incorporar exercícios de fortalecimento nas rotinas de treino pode resultar em melhorias substanciais na capacidade de enfrentar aclives desafiadores. Exercícios como agachamentos, leg press e trabalho com pesos livres são exemplos que podem contribuir para aumentar a potência das pernas. Além disso, fortalecer o core é essencial para manter uma postura estável e eficiente na bicicleta. Portanto, dedicar-se a um programa de treinamento que inclua fortalecimento muscular é uma estratégia inteligente para ciclistas que buscam superar seus limites em subidas e ter um desempenho global mais forte.

Fontes

* _Bike Anjo. De Bike ao Trabalho. Disponível em: https://debikeaotrabalho.org.br/app/uploads/2021/05/Cartilha-De-Bike-Ao-Trabalho-Bike-Anjo-compactado.pdf. Acesso em: 10 abr. 2023._

* _Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura (ITTI). Manual do Ciclista. Disponível em: https://itti.org.br/wp-content/uploads/2020/08/manual-do-ciclista_digital.pdf. Acesso em: 10 abr. 2023._

* _Projeto Bicicleta Livre – UNB. Cartilha do Ciclista. Disponível em: https://bicicletanarua.files.wordpress.com/2009/09/cartilha-do-ciclista-projeto-bicicleta-livre-unb.pdf. Acesso em: 10 abr. 2023._

* _Secretaria do Esporte e do Turismo do Paraná. Manual Pedala Paraná. Disponível em: https://www.esporte.pr.gov.br/sites/default/arquivos_restritos/files/documento/2023-06/Manual-Pedala-Parana-2edicao-2023-V1.pdf. Acesso em: 10 abr. 2023._

* _Associação Brasileira dos Produtores de Bicicletas (Abraciclo). Guia do Ciclista. Disponível em: http://www.abraciclo.com.br/linkssitenovo/downloads/Guia_do_Ciclista.pdf. Acesso em: 10 abr. 2023._