A importância da hidratação adequada no ciclismo.

No universo do ciclismo, a hidratação adequada é tão crucial quanto a escolha da bicicleta ou o trajeto percorrido. Você sabia que a performance na pedalada pode ser diretamente afetada pelo seu estado de hidratação? O corpo humano, composto por aproximadamente 60% de água, necessita de um equilíbrio hídrico constante para funcionar apropriadamente, especialmente durante o esforço físico.

Mas como garantir uma hidratação eficiente antes, durante e após o pedal? Já pensou em quantos mililitros de água são essenciais a cada 20 minutos de atividade? E as consequências da desidratação, você está ciente de quão sérias podem ser? No Bike Fix Brasil, vamos desvendar os segredos para manter o corpo adequadamente hidratado e como isso pode potencializar seu desempenho e saúde nas duas rodas.

A importância da hidratação adequada no ciclismo

  • Hidratação é chave para o desempenho no ciclismo, afetando diretamente a qualidade do percurso.
  • A transpiração excessiva sem reposição adequada de líquidos pode causar desidratação e prejudicar a saúde e performance.
  • É recomendável beber água antes, durante e após o ciclismo, com uma ingestão sugerida de 250 ml a cada 20 minutos de atividade.
  • O corpo humano é composto por cerca de 60% de água, tornando a hidratação essencial para suas funções vitais.
  • Antes de iniciar o exercício, ingerir 500 ml de água meia hora antes ajuda a prevenir a desidratação durante a atividade.
  • Para manutenção durante o pedal, consumir 150 a 200 ml de água a cada 20 minutos é recomendado, especialmente sob calor intenso ou exercícios prolongados.
  • Após o exercício, é crucial repor os líquidos perdidos – recomenda-se 500 ml de água por quilo de peso perdido.
  • Bebidas esportivas podem ser benéficas tanto durante quanto após o ciclismo para recuperar eletrólitos e carboidratos.
  • Benefícios da hidratação correta no ciclismo incluem regulação da temperatura corporal, nutrição e eliminação de resíduos, lubrificação de articulações e prevenção de câimbras.
  • A falta de hidratação pode resultar em diminuição da performance, dores de cabeça, náuseas, tonturas, fadiga e riscos graves como insolação.

Uma dica fundamental para os ciclistas é manter-se hidratado durante todo o percurso. A desidratação pode comprometer sua saúde e desempenho, prejudicando a qualidade do pedal. Beba líquidos antes, durante e depois do exercício físico, consumindo cerca de 250 ml a cada 20 minutos de atividade. Lembre-se que nosso corpo é composto por aproximadamente 60% de água, então a hidratação correta é essencial para o bom funcionamento do organismo. Antes de pedalar, ingira cerca de 500 ml de água meia hora antes do exercício e durante o pedal, beba de 150 a 200 ml a cada 20 minutos. Após o exercício, repor os líquidos perdidos é necessário, consumindo cerca de 500 ml de água para cada quilo perdido durante o exercício. Não subestime os benefícios da hidratação adequada: regulação da temperatura corporal, transporte de nutrientes, eliminação de resíduos, lubrificação das articulações e prevenção de câimbras. Evite problemas como queda de performance, dores de cabeça, náuseas, tonturas e fadiga. Mantenha-se hidratado e aproveite seu pedal ao máximo!
A hidratação adequada desempenha um papel fundamental no desempenho e na saúde dos ciclistas. Durante o ciclismo, o corpo perde uma quantidade significativa de água através do suor, o que pode levar à desidratação se não for devidamente compensado.

A desidratação afeta negativamente o desempenho físico, causando fadiga precoce, diminuição da

Otimizando o desempenho no ciclismo através da hidratação

Manter-se devidamente hidratado é um dos pilares para otimizar o desempenho no ciclismo. Quando estou pedalando, seja em percursos longos ou treinos intensivos, percebo que a hidratação adequada é crucial para manter a resistência e evitar a fadiga prematura. O corpo humano, ao se exercitar, perde líquidos e eletrólitos através do suor, e essa perda precisa ser compensada. Portanto, adoto como prática levar sempre uma garrafa d’água cheia para cada hora de pedal, garantindo que meus níveis de hidratação permaneçam estáveis.

Além disso, em pedais com duração superior a uma hora e meia, torna-se essencial ter à disposição algum tipo de lanche que possa fornecer energia sem sobrecarregar o organismo. Opto por alimentos com baixo teor de açúcar, gordura e proteínas, que são mais fáceis de digerir enquanto estou em movimento. Em trajetos mais curtos, os isotônicos podem ser uma alternativa à água, pois ajudam na reposição rápida de minerais perdidos. A escolha correta de líquidos e alimentos durante o exercício pode fazer uma diferença significativa na performance e na recuperação pós-treino.A hidratação adequada desempenha um papel crucial no ciclismo. Durante a prática desse esporte, o corpo perde uma quantidade significativa de líquidos por meio do suor, o que pode levar à desidratação se não for compensado corretamente.

A desidratação afeta negativamente o desempenho do ciclista, pois reduz a capacidade de resistência, causa fad

Prevenindo a desidratação durante a atividade física

Ao nos lançarmos ao desafio do ciclismo, seja como esporte, lazer ou meio de transporte, é imprescindível ter consciência da relevância de uma hidratação adequada. A desidratação, mesmo que leve, pode ser um obstáculo significativo para o desempenho e bem-estar do ciclista.

Entender as necessidades hídricas do corpo durante a prática do ciclismo é um dos primeiros passos para garantir que a atividade seja não apenas prazerosa, mas também segura. A perda de fluidos ocorre de maneira mais intensa quando estamos em movimento, especialmente em ambientes quentes, onde o suor se torna o principal mecanismo de termorregulação do nosso organismo.

A reposição de líquidos não deve ser guiada exclusivamente pela sensação de sede. Este sinal fisiológico muitas vezes é insuficiente e tardio, indicando que o corpo já está em um estado de desidratação. Por isso, é fundamental adotar uma estratégia proativa. Seguir as recomendações de instituições renomadas como o American College of Sports Medicine (ACSM) e a National Athletic Trainer’s Association (NATA) pode ser um excelente ponto de partida.

A ingestão de líquidos deve começar antes mesmo de se pedalar. Consumir aproximadamente 500ml duas horas antes do exercício pode preparar o corpo para as perdas iminentes. Durante o percurso, é importante beber regularmente, não esperando a sede aparecer para hidratar-se.

O volume e frequência da ingestão hídrica devem ser cuidadosamente balanceados com as perdas por sudorese. Perder apenas 2% do peso corporal em fluidos já pode reduzir significativamente a capacidade física e aumentar a sensação de fadiga. É vital, portanto, monitorar não só a quantidade de líquido perdido através do suor, mas também ajustar a reposição hídrica às condições individuais e ambientais.

Você vai gostar:  A importância da nutrição no ciclismo de longa distância.

A temperatura e palatabilidade dos líquidos consumidos também são aspectos que merecem atenção. Bebidas muito frias ou muito quentes podem afetar a taxa de absorção pelo corpo e a vontade de beber. Ademais, em exercícios prolongados ou de alta intensidade, a adição de carboidratos e eletrólitos pode ser benéfica para manter os níveis de energia e evitar distúrbios eletrolíticos.

Portanto, seja você um ciclista amador ou profissional, a hidratação adequada deve ser vista como parte integrante do seu treino e performance. Conhecer seu corpo e como ele reage às diferentes condições é essencial para definir uma estratégia hídrica eficaz que lhe permita pedalar mais longe e com maior segurança.A hidratação adequada é de extrema importância no ciclismo. Durante a prática desse esporte, o corpo perde uma quantidade significativa de água através da transpiração, o que pode levar à desidratação se não for reposta corretamente.

A desidratação afeta negativamente o desempenho do ciclista, pois reduz a capacidade de dissipar o calor corporal, aument

Quando beber líquidos durante o exercício

No universo do ciclismo, a hidratação adequada é um dos pilares para o desempenho e a saúde do atleta. Entender o momento certo para ingerir líquidos durante a prática esportiva pode ser tão crucial quanto a própria atividade física. A hidratação não é apenas uma questão de saciar a sede, mas sim uma estratégia meticulosa para manter o corpo funcionando em sua máxima eficiência. Segundo diretrizes de instituições renomadas, como o American College of Sports Medicine (ACSM), é recomendável que se consuma aproximadamente 500mL de líquidos nas horas que antecedem o exercício, preparando o organismo para as demandas que estão por vir.

Durante a pedalada, a reposição de líquidos deve começar desde os primeiros movimentos e seguir em intervalos regulares. Isso ajuda a compensar as perdas contínuas por meio da sudorese, evitando desidratação e desequilíbrios hidroeletrolíticos. As orientações da National Athletic Trainer’s Association (NATA) sugerem ingerir 500 a 600mL de água ou bebida esportiva algumas horas antes do exercício e 200 a 300mL pouco antes de iniciar. Essa prática assegura que o ciclista comece sua jornada já bem hidratado.

A complexidade do tema da hidratação no esporte se revela também na necessidade de personalização. Cada ciclista tem um ritmo de suor e necessidades de reposição distintas, que podem ser influenciadas por fatores como intensidade do exercício, condições climáticas e características fisiológicas individuais. Portanto, embora existam recomendações gerais, é fundamental que o atleta aprenda a conhecer seu corpo e suas respostas ao exercício para ajustar a ingestão de líquidos de forma otimizada, garantindo assim uma performance segura e eficaz.A hidratação adequada desempenha um papel fundamental no ciclismo. Durante a prática desse esporte, o corpo perde líquidos através do suor, o que pode levar à desidratação se não forem tomadas as devidas precauções. 

A desidratação afeta negativamente o desempenho do ciclista, pois reduz a capacidade de resfriamento do corpo

Benefícios da hidratação adequada e riscos da desidratação no ciclismo

Quando nos lançamos ao desafio do ciclismo, seja em trilhas sinuosas ou em longas distâncias nas estradas, a importância de uma hidratação adequada não pode ser subestimada. A água é o componente mais crítico no funcionamento do nosso organismo, atuando como um veículo para o transporte de nutrientes e na regulação da temperatura corporal. No contexto do ciclismo, onde o esforço físico é intenso e a transpiração é abundante, manter-se hidratado torna-se uma questão não apenas de performance, mas de saúde.

Os benefícios de uma hidratação eficaz são vastos e vitais. Ao ingerirmos líquidos regularmente durante o pedal, estamos a promover a homeostase – um equilíbrio dos processos fisiológicos do corpo. Isso permite que a temperatura interna seja controlada eficientemente através da transpiração, evitando o superaquecimento e possíveis golpes de calor. Além disso, a água facilita a eliminação de resíduos metabólicos, contribuindo para um sistema circulatório eficiente e reduzindo o risco de câimbras musculares – um inimigo comum dos ciclistas.

Por outro lado, os riscos associados à desidratação podem ser severos. A perda excessiva de líquidos sem a reposição adequada leva a uma queda na volemia – o volume de sangue circulante – resultando em uma menor oxigenação dos músculos e órgãos. Essa redução na capacidade de transporte de oxigênio pode manifestar-se em sintomas como fadiga precoce, diminuição da coordenação motora e até mesmo comprometimento cognitivo. Em casos extremos, a desidratação pode provocar condições médicas graves, como insolação e convulsões, que exigem intervenção imediata.

A prática do ciclismo exige um planejamento estratégico da ingestão de líquidos. Recomenda-se iniciar a atividade já em um estado de hidratação ótimo, consumindo cerca de 500 ml de água meia hora antes do exercício. Durante o percurso, a regra geral é a ingestão de 150 a 200 ml de água a cada 20 minutos, ajustando-se conforme as condições climáticas e intensidade do esforço.

Ao finalizar o trajeto, é imprescindível repor os líquidos perdidos. Uma técnica eficaz é pesar-se antes e depois do exercício para calcular o déficit hídrico e consumir aproximadamente 500 ml de água para cada quilo perdido. Em determinadas situações, bebidas esportivas enriquecidas com eletrólitos e carboidratos podem ser benéficas para recuperar o equilíbrio eletrolítico e energético.

Em suma, a hidratação adequada é um pilar fundamental não apenas para alcançar um desempenho ótimo no ciclismo mas também para salvaguardar nossa saúde. A consciência sobre quando e quanto beber é tão crucial quanto qualquer outra técnica ou habilidade relacionada ao esporte. Assim como ajustamos nossos pedais ou calibramos nossos freios, devemos também afinar nossa gestão hídrica – ela pode ser a diferença entre uma jornada vitoriosa ou uma experiência debilitante nas duas rodas.

Manter-se hidratado é essencial no ciclismo, tanto para a performance quanto para a saúde geral. Uma hidratação correta evita cãibras, fadiga e mantém a concentração afiada. Para saber mais sobre a importância da água e dicas de hidratação, visite o site da Organização Mundial da Saúde. Não esqueça sua garrafinha!

1. Por que a hidratação adequada é tão importante para os ciclistas?


A hidratação adequada desempenha um papel fundamental no desempenho e na saúde dos ciclistas. Durante o ciclismo, o corpo perde uma quantidade significativa de água através do suor, o que pode levar à desidratação se não for devidamente compensado.

Você vai gostar:  Alimentação antes de longas pedaladas: o que comer?

2. Quais são os efeitos da desidratação no desempenho físico dos ciclistas?


A desidratação afeta negativamente o desempenho físico, causando fadiga precoce, diminuição da resistência, redução da capacidade de dissipar o calor corporal e comprometimento da coordenação motora. Todos esses fatores podem prejudicar a performance do ciclista.

3. Como a hidratação adequada pode ajudar na recuperação pós-treino?


A hidratação adequada após o treino é essencial para repor os líquidos perdidos durante o exercício e facilitar a recuperação muscular. Além disso, a água ajuda na eliminação de resíduos metabólicos, promovendo uma melhor circulação sanguínea e reduzindo o risco de câimbras musculares.

4. Quais são as melhores práticas para se manter hidratado durante o ciclismo?


Levar sempre uma garrafa d’água cheia para cada hora de pedal é uma boa prática para garantir a hidratação adequada durante o ciclismo. Além disso, em pedais mais longos, é importante ter lanches leves e isotônicos à disposição para repor os nutrientes perdidos.

5. Qual é a importância de escolher os líquidos corretos durante o exercício?


Escolher os líquidos corretos durante o exercício é fundamental para repor não apenas a água perdida, mas também os eletrólitos, como sódio e potássio. Os isotônicos podem ser uma alternativa à água, pois ajudam na reposição rápida de minerais perdidos.

6. Como saber a quantidade de líquidos que devo consumir durante o ciclismo?


A quantidade de líquidos a ser consumida durante o ciclismo pode variar de acordo com a intensidade do exercício, as condições climáticas e as características individuais. Uma recomendação geral é ingerir cerca de 150 a 200 ml de água a cada 20 minutos.

7. O que fazer para se preparar adequadamente antes do exercício?


Antes do exercício, é importante consumir aproximadamente 500 ml de água duas horas antes do pedal para preparar o corpo para as perdas iminentes. Essa prática ajuda a iniciar a atividade já bem hidratado.

8. Como identificar os sinais de desidratação durante o ciclismo?


Os sinais de desidratação durante o ciclismo podem incluir sede intensa, boca seca, urina escura e redução do desempenho físico. É importante estar atento a esses sinais e tomar medidas para se hidratar adequadamente.

9. Quais são os riscos associados à desidratação no ciclismo?


A desidratação no ciclismo pode levar a uma queda na volemia – volume de sangue circulante – resultando em menor oxigenação dos músculos e órgãos. Isso pode levar à fadiga precoce, diminuição da coordenação motora e comprometimento cognitivo. Em casos extremos, pode ocorrer insolação e convulsões.

10. Como ajustar a ingestão hídrica conforme as condições individuais e ambientais?


A ingestão hídrica deve ser cuidadosamente balanceada com as perdas por sudorese. É importante monitorar não só a quantidade de líquido perdido através do suor, mas também ajustar a reposição hídrica às condições individuais e ambientais, como temperatura e umidade.

11. Quais são os benefícios da hidratação adequada no ciclismo?


A hidratação adequada no ciclismo traz benefícios como melhor controle da temperatura corporal, maior oxigenação dos músculos e órgãos, eliminação eficiente de resíduos metabólicos, redução do risco de câimbras musculares e melhora na performance física.

12. Como personalizar a ingestão de líquidos durante o ciclismo?


Cada ciclista tem um ritmo de suor e necessidades de reposição distintas. É importante aprender a conhecer seu corpo e suas respostas ao exercício para ajustar a ingestão de líquidos de forma otimizada, garantindo assim uma performance segura e eficaz.

13. Quais são as melhores opções de bebidas esportivas para o ciclismo?


As bebidas esportivas enriquecidas com eletrólitos e carboidratos podem ser benéficas durante o ciclismo, especialmente em exercícios prolongados ou de alta intensidade. Elas ajudam na reposição dos minerais perdidos e fornecem energia adicional.

14. Por que devemos encarar a hidratação adequada como parte integrante do treino e performance no ciclismo?


A hidratação adequada não deve ser vista como um detalhe secundário no ciclismo, mas sim como parte integrante do treino e da performance. Ela tem um impacto direto na resistência, recuperação muscular e bem-estar geral do ciclista.

15. Qual é a importância de conhecer seu corpo e suas necessidades individuais na gestão hídrica no ciclismo?


Conhecer seu corpo e como ele reage às diferentes condições é essencial para definir uma estratégia hídrica eficaz no ciclismo. Cada indivíduo tem suas próprias necessidades hídricas, que podem ser influenciadas por fatores como intensidade do exercício, condições climáticas e características fisiológicas individuais

  • Manter-se devidamente hidratado é fundamental para otimizar o desempenho no ciclismo;
  • A hidratação adequada ajuda a manter a resistência e evitar a fadiga prematura;
  • Levar uma garrafa d’água cheia para cada hora de pedal é uma prática recomendada;
  • Em pedais longos, é importante ter lanches que forneçam energia sem sobrecarregar o organismo;
  • Isotônicos podem ser uma alternativa à água em trajetos mais curtos;
  • A escolha correta de líquidos e alimentos durante o exercício pode fazer uma diferença significativa na performance e recuperação pós-treino;
  • A desidratação afeta negativamente o desempenho físico, causando fadiga precoce e diminuição da resistência;
  • A perda de líquidos ocorre através do suor durante o ciclismo;
  • A reposição de líquidos não deve ser guiada apenas pela sede;
  • A ingestão de líquidos deve começar antes mesmo de iniciar o exercício;
  • Perder apenas 2% do peso corporal em fluidos já pode reduzir significativamente a capacidade física;
  • A temperatura e palatabilidade dos líquidos consumidos também são aspectos importantes;
  • A hidratação adequada deve ser vista como parte integrante do treino e performance no ciclismo;
  • O momento certo para ingerir líquidos durante o exercício é crucial para manter o corpo funcionando eficientemente;
  • Cada ciclista tem um ritmo de suor e necessidades de reposição distintas;
  • Os benefícios da hidratação adequada incluem regulação da temperatura corporal, eliminação de resíduos metabólicos e prevenção de câimbras musculares;
  • A desidratação pode levar a fadiga precoce, diminuição da coordenação motora e comprometimento cognitivo;
  • O planejamento estratégico da ingestão de líquidos é essencial no ciclismo;
  • Recomenda-se iniciar a atividade já bem hidratado e ingerir água regularmente durante o percurso;
  • A reposição hídrica deve ser feita ao finalizar o trajeto, calculando o déficit hídrico e consumindo água proporcionalmente;
  • Bebidas esportivas podem ser benéficas para recuperar o equilíbrio eletrolítico e energético.
Você vai gostar:  Potencialize seu Pedal: Nutrição para Ciclistas!

Benefícios da hidratação adequada Riscos da desidratação
Regulação da temperatura corporal Fadiga precoce
Eliminação de resíduos metabólicos Diminuição da coordenação motora
Redução do risco de câimbras musculares Comprometimento cognitivo
Maior oxigenação dos músculos e órgãos Insolação e convulsões
Prevenção de golpes de calor

– Hidratação adequada: manter-se devidamente hidratado é crucial para otimizar o desempenho no ciclismo.
– Garrafa d’água: levar uma garrafa d’água cheia para cada hora de pedal é essencial para manter os níveis de hidratação estáveis.
– Lanche: em pedais longos, ter um lanche de fácil digestão pode fornecer energia sem sobrecarregar o organismo.
– Isotônicos: em trajetos curtos, os isotônicos podem ser uma alternativa à água, ajudando na reposição rápida de minerais perdidos.
– Performance: a escolha correta de líquidos e alimentos durante o exercício pode fazer uma diferença significativa na performance e recuperação pós-treino.
– Desidratação: a falta de hidratação adequada afeta negativamente o desempenho físico, causando fadiga precoce e diminuição da resistência.
– Necessidades hídricas: entender as necessidades hídricas do corpo durante o ciclismo é fundamental para garantir uma atividade segura e prazerosa.
– Estratégia proativa: adotar uma estratégia proativa de hidratação, seguindo recomendações de instituições renomadas, é importante para evitar a desidratação.
– Reposição hídrica: consumir aproximadamente 500ml de líquidos antes do exercício prepara o corpo para as perdas iminentes. Beber regularmente durante o percurso também é essencial.
– Balanceamento: é importante balancear o volume e frequência da ingestão hídrica com as perdas por suor, evitando a redução da capacidade física e aumento da fadiga.
– Temperatura e palatabilidade: a temperatura e palatabilidade dos líquidos consumidos devem ser consideradas para garantir uma boa absorção pelo corpo e vontade de beber.
– Carboidratos e eletrólitos: em exercícios prolongados ou intensos, a adição de carboidratos e eletrólitos pode ser benéfica para manter os níveis de energia e evitar distúrbios eletrolíticos.
– Personalização: cada ciclista tem um ritmo de suor e necessidades de reposição distintas, sendo importante conhecer o próprio corpo e ajustar a ingestão de líquidos de forma otimizada.
– Benefícios da hidratação adequada: manter-se hidratado durante o ciclismo promove a homeostase, regula a temperatura corporal, facilita a eliminação de resíduos metabólicos e reduz o risco de câimbras musculares.
– Riscos da desidratação: a desidratação pode levar à queda na oxigenação dos músculos e órgãos, resultando em fadiga precoce, diminuição da coordenação motora e até mesmo condições médicas graves como insolação e convulsões.
– Planejamento estratégico: iniciar a atividade já bem hidratado, consumir líquidos regularmente durante o pedal e repor os líquidos perdidos ao finalizar o trajeto são práticas importantes para garantir uma performance segura e eficaz.

Os Benefícios de Uma Dieta Balanceada para Ciclistas

Além da hidratação, outro aspecto crucial para o desempenho e a saúde dos ciclistas é a nutrição. Uma dieta balanceada é fundamental para fornecer a energia necessária e auxiliar na recuperação muscular após longos períodos de atividade física. Carboidratos, proteínas e gorduras saudáveis devem ser consumidos em proporções adequadas para garantir que o corpo funcione de maneira otimizada. Além disso, vitaminas e minerais desempenham um papel importante na prevenção de cãibras e na manutenção do sistema imunológico forte. Portanto, é essencial que os ciclistas planejem suas refeições e lanches com cuidado, considerando as demandas específicas de suas rotinas de treino.

A Relação entre Descanso e Performance no Ciclismo

Outro ponto que merece atenção quando falamos em ciclismo é a importância do descanso adequado. O corpo necessita de tempo para se recuperar das exigências do esporte, e negligenciar o descanso pode levar a um desempenho subótimo e aumentar o risco de lesões. O sono de qualidade é um dos aspectos mais críticos do descanso, pois é durante o sono que ocorre a maior parte da recuperação muscular e a consolidação da memória motora, essencial para a técnica de ciclismo. Além disso, períodos adequados de descanso entre os treinos permitem que o corpo se adapte às cargas de trabalho impostas, resultando em melhorias contínuas na capacidade física do ciclista.

Fontes

*Academia.edu*. Hidratação pós exercício: Recomendações e Fundamentação Científica. Disponível em: https://www.academia.edu/51863838/Hidratação_pós_exercício_Recomendações_e_Fundamentação_Científica_Hydration_Post_Exercise_Recommendation_and_Scientific_Evidence. Acesso em: data de acesso.

*Academia.edu*. Avaliação Do Nível De Desidratação De Frequentadores Das Aulas De Spinning De Três Academias Corporativas Do Município De São Paulo. Disponível em: https://www.academia.edu/69134099/Avaliação_Do_Nível_De_Desidratação_De_Frequentadores_Das_Aulas_De_Spinning_De_Tres_Academias_Corporativas_Do_Município_De_São_Paulo. Acesso em: data de acesso.

*OALIB*. Disponível em: https://oalib.perpustakaan.upi.edu/Record/doaj_de439cdcda234556b47f97c23e46545d. Acesso em: data de acesso.

*Revista Brasileira de Nutrição Esportiva*. Disponível em: https://www3.ncrn.cornell.edu/185-revista-brasileira-de-nutri-o-esportiva_YjoyMzozNQ.pdf. Acesso em: data de acesso.

*Insight Kellogg*. Disponível em: https://insight.kellogg.northwestern.edu/pt/article/sure-industry-outsiders-can-bring-fresh-ideas-but-are-they-better-entrepreneurs. Acesso em: data de acesso.